quarta-feira, 14 de janeiro de 2009


BOM JESUS DO NORTE (ES): VENEZA BRASILEIRA.


Nos últimos 60 dias, a região Norte e Noroeste Fluminense do estado do Rio de Janeiro vem sendo castigada pelas chuvas de verão, ocasionando enormes prejuízos às pessoas e também aos cofres públicos que têm que arcar com obras emergenciais e apoio material às vítimas.
Em Bom Jesus do Norte, município capixaba que faz divisa com o Noroeste Fluminense, a situação não é menos trágica: um morto, centenas de pessoas desalojadas, lojas invadidas pelas águas, mercadorias perdidas, um cenário de caos e desespero, principalmente para os mais pobres, que são os mais sujeitos as intempéries e às catástrofes naturais.
É estranho, mas quanto menos posses se tem, mais solidárias são as pessoas. Mesmo nesse cenário caótico, não raro, foi comum, durante todo o dia, pessoas que também foram vítimas, dividindo o pouco que lhe restaram com outras pessoas que perderam tudo. Contraditoriamente era para ser o inverso, ou seja, aqueles que têm mais condições deveriam ser os primeiros a se disponibilizarem em ajudar aos mais necessitados. Essa é a lógica cristã, essa é a lógica do bom senso, mas lamentavelmente não foi isso o que se assistiu no transcorrer de todos os dias que se seguiram.
Entretanto, apesar de ser o mínimo nesses casos, ninguém é obrigado a ajudar ninguém, pelo menos essa é a lógica das pessoas que pensam apenas em si; essa é a lógica do materialismo histórico, tantas vêzes repetidos por Marx, porém, paradoxalmente, essas mesmas pessoas lotam as Igrejas todos os domingos acreditando que agindo apenas dessa forma, encontrarão a salvação de suas almas, esquecendo-se que é impossivel a salvação fora da caridade, principal preceito cristão.
A enchente ocorrida no último dia 04/01/2009, apesar de trágica, trouxe junto, uma grata e surpreendente surpresa para a população norte-bonjesuense: o vice-prefeito da Cidade, Sr. Pedro Chaves, durante todo o dia seguinte ao evento trágico, sob chuva, de posse de vassouras e pás ajudando a desobstruir galerias pluviais, orientando pessoas atingidas pela catástrofe, comandando funcionários de várias secretarias empenhados em diminuir a dor daquelas pessoas, enfim, uma atitude altruística e que vai muito além dos gabinetes institucionais e dos cargos ocupados. Esse é o verdadeiro espírito público e cristão. Parabéns, Prefeitura de Bom Jesus do Norte!
Essa é a postura dos verdadeiros homens públicos comprometidos com Deus e com a sociedade que os elegeu. Nossa surpresa se dá no sentido de que mormente essa não é uma cena “sui generis”, ao contrário, o “normal”, é ouvir apenas discursos e promessas vãs de que “as coisas irão melhorar”, “ que é assim mesmo”, “Deus quis assim”, e por aí vai. O brasileiro não aceita mais tais discursos, ansiamos por mais ações e menos blá blá blá.
Repetidas vezes tenho dito que vivemos numa lógica capitalista, onde qualquer coisa que se almeje passa pelo viés do dinheiro, inclusive a educação, aliás, principalmente. É importante que se invista maciçamente nesse setor para que se tenha um país mais justo, mais educado e mais competitivo. Não obstante, faz-se mister boa vontade e espírito público para fazer as coisas acontecerem, pois como diz a canção “...quem sabe faz a hora, não espera acontecer...”
Logicamente não se pode impedir as chuvas de caírem, muito menos as manifestações da Natureza, mas podemos evitar seus efeitos mais devastadores, sobretudo para aquelas comunidades ribeirinhas, que utilizam-se dos rios como depósitos de lixos por preguiça, comodismo ou mesmo por ignorância, o que faz com que qualquer chuvinha a mais jogue os lixos para fora e transforme Bom Jesus e várias cidades em Venezas brasileiras, claro, sem o glamour da sua par italiana.
Um outro problema não menos grave nesse contexto, diz respeito aos desmatamentos, muito comuns por aqui e que ocorrem devido a ânsia de lucro por parte de alguns criadores de gados que devastam uma boa parte da Mata Atlântica promovendo derrubadas de árvores e queimadas apenas para transformá-las em pastos, como se a floresta a eles pertencessem, satisfazendo assim, o seu ego e a sua busca desenfreada por lucros, não se importando se aquela queimada ou a derrubada daquela árvore irá trazer transtornos para a população e quiçá para si mesmos e seus familiares num futuro mais próximo do que eles possam supor, como esse que vivemos agora.
Mormente, esses pontos para serem melhorados, volto a insistir, passam pela educação, que se necessária deverá sim, ser punitiva para com aqueles que ignoram e ate zombam da lei. Se temos um povo melhor instruido, provavelmente muitos desses problemas não existiriam, ou se existissem, seus impactos seriam bem menores no meio-ambiente e por conseguinte na sociedade, que teria uma qualidade de vida melhor graças a uma educação que se propôs a ir muito alem das linhas teóricas presentes nos quadros negros das salas de aula. Falo de ações práticas.
Em muitos municípios brasileiros que acreditaram e investiram na educação, como é o caso de Águas de São Pedro, em São Paulo, (segundo menor município do Brasil), a qualidade de vida é uma das melhores do país, elevando o pequeno município (segundo maior IDH do estado de São Paulo), ao patamar de melhor cidade brasileira em qualidade global de vida, comparado com algumas cidades européias. Seu Índice de Responsabilidade Fiscal e Social (IRFS) é um dos maiores do Brasil, e olha que se trata de uma cidade bem pequena, como é a nossa Bom Jesus do Norte, o que nos faz crer que aqui também poderemos alcançar índices parecidos, basta um pouco de boa vontade política nesse sentido. Esses dados podem ser verificados no sítio http://www.cnm.org.br/ ou http://www.ibge.org.br/
Por último, o que se assistiu hoje em Bom Jesus do Norte pode ser considerado uma prévia de como será conduzida a administração em nosso município: com ética, respeito, trabalho e sobretudo competência, o que não quer dizer em absoluto, que tais qualidades não estivessem presentes na administração anterior, claro que estiveram, mas nunca é demais destacar a sua importância. Parabéns aos novos parlamentares, ao prefeito Dr. Adson Salim, ao vice-prefeito Pedro Chaves e aos novos secretários municipais, certamente muito bem escolhidos pelo chefe do Executivo. A luta continua!


Bom Jesus do Norte (ES), 05/01/2009.




Marcelo Adriano Nunes de Jesus.



Professor da Rede Estadual do Rio de Janeiro.
Mestrando em História Social – Poder e Política – Univers. Severino Sombra ( Vassouras – RJ)
Pós Graduado em História. Especialista em História do Brasil – Univers. Cândido Mendes – RJ
Graduado em História – Licenciatura Plena – Faculd. Integradas Simonsen – R
Graduando em Direito – Bacharelado – Univers. Iguaçu – UNIG – Itaperuna –RJ
E-mail: marceloadriano36@hotmail.com ou profmarceloadriano@gmail.com
Tel. (22) 8125-2846


2 comentários:

  1. thalinny de souza turma 80116 de fevereiro de 2009 20:21

    Oi professor...
    Realmente a tragédia foi muito triste,mas ainda bem que nesse mundo há muitas pessoas boas mesmo que também tenha passado por isso ajudou os mais necessitados dividindo o que os tinha restado.
    E DEUS é muito bom e concerteza devolveu em dobro tudo aquilo que eles dividiram com quem estava precisando mais.
    E ao mesmo tempo fico muito feliz por termos ajudado muitas pessoas com as doações que fizemos.
    Pois tenho a certeza que se tivesse sido com nós muitos deles teríam ajudado.
    *FIM*

    ResponderExcluir
  2. Lucas Natividade Turma do 2° ano.

    Professor eu não sei se o senhor sabe mas,a solidariedade é, sem sombra de dúvidas, a forma maior de alguém expressar o seu amor, então foi um gesto muito legal a respeito da doação de alimentos para SC, continue assim.

    OBS: Quero te dar os parabéns pelo texto.Muito bom!

    Então é isso, um grande abraço!

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário.